Assim, o programa festivo destaca o colóquio denominado ao tema “Os Grupos Folclóricos e seu contributo para o apreço e divulgação Popular, pelo Padre João de Brito; e ao tema “O nosso património cultural sua importância e preservação”, a cargo do director regional da Cultura, Jorge Paulus Bruno, com início previsto às 20h30 do dia 20 de Maio.
Mais tarde, pelas 23h00, o momento é dedicado às camadas mais jovens com a “Noite da Juventude”, a qual contará com baile e karaoke.
Já sábado, 21, o dia ficará marcado pelo jantar de aniversário, a partir das 20h00, precedido por uma bezerrada, às 15h00, sendo que a “Noite da Juventude” voltará a reunir os jovens para baile e karaoke.
No dia 22 de Maio, o programa prevê alvorada com 15 Morteiros, pelas 8h00, seguindo-se, às 10h30, a saudação da Filarmónica União Católica da Serra da Ribeirinha e Filarmónica Recreio dos Lavradores da Ribeirinha, e, meia hora depois, Missa Campal.
À tarde, as actividades compreendem Provas de Aptidão Profissional com o tema “À Volta dos Pratos”, apresentado pela aluna Diana Marina Machado, pelas 14h30.
O aniversariante, Grupo Folclórico e Etnográfico da Ribeirinha “Recordar e Conhecer” fará a sua actuação, pelas 18h30, seguindo-se convívio e, às 22h00, uma Surpresa.
Desde 1996
Fundado a 22 de Maio de 1996, o Grupo Folclórico e Etnográfico da Ribeirinha “Recordar e Conhecer” surge na sequência de um Monumental Cortejo Etnográfico realizado na mesma freguesia, um ano antes, integrado na celebração da Autonomia dos Açores e transmitido directamente pela RTP – Açores.
Esse evento gerou grande mobilização em torno da recolha de documentação, trajes, meios de transportes e tradições da Ribeirinha e da Ilha Terceira, e, por isso, os seus elementos fundadores, nomeadamente Alberto Gonçalves de Melo e Nívea Pereira Ferreira, entenderam formar um grupo de recolha de tradições culturais cujo conceito tem assente a dança folclórica e a apresentação de tradições.
Os objectivos são o estudo, a pesquisa, a recolha e a divulgação do Folclore entre outros elementos etnográficos, em especial da própria Ribeirinha, bem como a promoção sócio-cultural das populações da Ilha Terceira através deste género de manifestação cultural.
A sua primeira apresentação pública data de 8 de Abril de 1997, no âmbito dos 50 Aniversário do Rádio Clube de Angra, no Teatro Angrense, em Angra do Heroísmo.
Registos musicais
Lançou o seu primeiro CD com 12 músicas do cancioneiro popular açoriano, mais propriamente da Ilha Terceira, um DVD no Centro Etnográfico da Ribeirinha com a designação “Recordar e Conhecer”, bem como um Roteiro Turístico, Cultural e Económico da Ribeirinha.
O seu currículo integra ainda a inauguração da sua sede social ou Museu de uma casa Típica da Ribeirinha e terceirense, em 2003, onde tem expostas mais de 5 mil peças seculares.
É de referir que, como complemento etnográfico, o Grupo Folclórico e Etnográfico da Ribeirinha “Recordar e Conhecer” exibe os utensílios agrícolas alusivos à agro-pecuária, ceifa, ao amanho artesanal da terra e a outros mediante os seus 59 elementos, dos quais 35 dançarinos e nove violas e violões.
Os seus trajes são rigorosamente tradicionais, alguns dos quais antiquíssimos, sendo uma indumentária representativa da forma de vestir de várias camadas sociais da Ribeirinha e da Ilha Terceira dos séculos XVI e princípios do século XX.
Tem como director técnico o ensaiador coreográfico Elmiro Jorge Corvelo e o director vocal Euclides Ávila.
O Grupo é também sócio da Fundação Inatel e da Federação de Folclore Português.
FONTE: A União Online